Avenida Recife

A BR 232 parte do Recife-PE e avança rumo ao interior de Pernambuco. Um grande corredor que atravessa todo o estado de Pernambuco, de modo semelhante a uma coluna vertebral.

A BR 232 segue do Recife até a cidade de Parnamirim-PE, interior do estado de Pernambuco. A partir de Parnamirim-PE, ocorre uma grande bifurcação, com o braço sudoeste em direção à Petrolina-PE.

Para quem parte do Recife-PE, a BR 232 começa devidamente duplicada, no entanto essa condição permanece apenas até a cidade de São Caetano-PE, ponto em que a rodovia passa a ser de via simples (mão dupla simples). Cabe destacar que a maior parte do trecho da BR 232, praticamente 2/3, é de mão dupla simples.

A duplicação de uma rodovia aliada a um traçado moderno favorece o trânsito de veículos e acaba contribuindo com o desenvolvimento de uma região por meio de inúmeros aspectos. Bom, a duplicação da BR 101, que interliga as capitais dos estados do Nordeste, é um bom exemplo, que permite entender como uma rodovia que oferece melhores condições para o trânsito de veículos contribui para o desenvolvimento da região. Antes da duplicação, a BR 101 era uma rodovia de mão dupla simples e com o traçado “truncado” – antigo – baseado na velocidade de carroças, o que dificultava o trânsito entre as capitais.

Atualmente, duplicada e com traçado modernizado em muitos trechos, a BR 101 trouxe um maior dinamismo entre as capitais, de modo que em 3 horas e 30 minutos é possível chegar em Natal-RN, partindo do Recife-PE. O aumento do fluxo de veículos contribui fortemente, por diversos motivos, para a economia da região.

A ideia aqui defendida é, portanto, a duplicação da BR 232 em todo o seu itinerário, de modo a facilitar o deslocamento rodoviário (tornado-o mais seguro, rápido e confortável) e assim favorecer o desenvolvimento econômico do interior pernambucano. Entendo que esta ação já está atrasada e deveria ser prioridade do Governador de plantão.

Uma estrada shopping, nas quais as cidades seriam verdadeiras lojas, um convite para se desfrutar da rota do interior, com vários pontos a serem visitados. O mapa abaixo indica o traçado da BR 232, em vermelho, como também alguns ramais em azul (também a serem duplicados), que ligam cidades chaves.

Conforme ilustrado no mapa, do Recife-PE até São Caetano-PE, a BR 232 é duplicada.

Outro aspecto a ser melhorado na BR 232 é a chegada à cidade do Recife. Por ser praticamente um acesso único ao Recife, o trânsito acaba sendo um fator negativo que desestimula a viagem pela rodovia. A chegada ao Recife precisa ser melhor estudada. O aumento do número de faixas da rodovia é uma solução paliativa. Provavelmente, uma chegada por meio de diversos corredores paralelos, como indica a Figura a seguir, seria mais efetiva, uma vez que estabeleceria uma saída para cada região do Recife e Grande Recife, fato que contribuiria com o trânsito da cidade, hoje afunilado na Avenida Abdias (a avenida das ambulâncias das prefeituras do interior), tanto para quem parte quanto para quem chega.

Esses corredores de saída/chegada da cidade do Recife devem ser bem sinalizados e devidamente indicados para estimular o uso e assim desafogar a saída principal, geralmente engarrafada.